jump to navigation

Santa Claus has shot… January 2, 2008

Posted by pastelx in Chronicles, Musics, Philosophy.
1 comment so far

No final de 2007 foi lançado em uma campanha beneficente de Natal um novo single da banda The Killers, “Don’t shoot me Santa”. O clipe (http://www.youtube.com/watch?v=dqKXGeV6-Wk) traz um Papai Noel nada ortodoxo punindo Brandon – o vocalista da banda – por suas ações errôneas de uma maneira também não muito usual para a personagem. A letra e o clipe são muito divertidos, o ritmo é contagiante e também bastante harmonioso com os outros elementos da música… A única coisa preocupante é o impacto que sofrerá a imagem do bom velhinho nas crianças, interpretada de forma tão psicopática na canção.

Embora eu não seja mais criança, sofri tal efeito… E enquanto assistia ao clipe, passei a reviver minhas crenças infantis. Não me recordo com clareza quando deixei de acreditá-lo, mas me recordo que por algum tempo ninguém ousaria discordar de mim que ele não morava na Groenlândia e fabricava, junto com os anões, os presentes artesanais que os pais entregavam aos filhos. Aos poucos fui percebendo que havia mais de um endereço para ele ou que nem todos tinham conhecimento disso. Ainda, com vários papais-noéis na cidade, alguma coisa estava estranha…

Passada a infância, vejo que muitos se tornam adultos e deixam suas crenças tolas para trás: descobrem que o Papai Noel não é vizinho do Coelhinho da Páscoa e que os anjinhos não moram nas nuvens. No entanto, poucos percebem que essas crenças dão lugar a outras, mais robustas, elaboradas e interessantes, e que, se não ousarem ficar acordados até a meia-noite da véspera de Natal, nem sequer perceberão a sua existência.

O que quero dizer é que achamos engraçado o quão ingênuo éramos quando crianças acreditando nisso tudo, e temos agora a convicção de saber exatamente como funciona nossa realidade, pensamos compreender as crianças e manipular o mundo. No entanto, será que nosso Papai Noel apenas não trocou sua vestimenta e apenas não repassou um novo endereço? Será que o quê e quem julgamos ser tão importantes realmente são? Quão distante é a nossa realidade daquela isolada e gélida região da Groenlândia onde vivia o Noel?

Como o Natal já passou, podemos aproveitar o início do ano para, ao som do The Killers, relembrar o que fizemos no último Natal, tentar ver quem estava por trás da barba e talvez rever (e quebrar) alguns conceitos…